Era uma vez…

“Era uma vez…” é o título de uma pequena história, curta mas deliciosa, contada em quatro painéis de tecido pintado que se encontram hoje pendurados na entrada da secção infantil da biblioteca municipal do Palácio Galveias, em Lisboa. Disseram-me que datam dos anos 20 do século passado e que vieram do Museu da Cidade para ali. Transcrevi-a com os erros e sem actualisar a ortografia. Para ilustrar, na impossibilidade de fotografar os quadros, fica uma imagem da Anita que me parece estar no espírito da coisa. No fim, fiz uma experiência linguística à la Saramago a ver o que dava, desta vez apenas com uma letra.

“Era uma vez…
1. Uma muher muito preguiçosa que não cuidava da casa e aborrecia o marido.
2. Foi vêr a Tia Vêrde Agua, que fazia milagres, para lhe pedir remédio para contentar o marido
3. A Velha disse-lhe que o milagre de ter a sua cosinha tão asseada, era devido à ajuda de dez anõesinhos…
4. E mostrou-lhe os dez anõesinhos que tambem ajudariam se éla se resolvesse a trabalhar…com as mãos!”
[Deco]


“Era uma vez…
1. Uma muher muito preguiçosa que não cuidava da casa e aborrecia o marido.
2. Foi vêr a Tia Vêrde Agua, que fazia milagres, para lhe pedir remédio para contentar o marido
3. A Velha disse-lhe que o milagre de ter a sua coisinha tão asseada, era devido à ajuda de dez anõesinhos…
4. E mostrou-lhe os dez anõesinhos que tambem ajudariam se éla se resolvesse a trabalhar…com as mãos!”