e se um dos cartoons fosse este…

… e tivesse sido publicado por um diário palestiniano?

Temos em mãos assunto sério e interessante. Sério porque mexe com muita gente, interessante porque, contrariamente às privatizações, não se torna necessariamente um assunto de esquerda ou de direita, o que leva a que as pessoas tenham de o pensar com os seus próprios miolinhos…
1. É legítimo pressionar um jornalista a não escrever/desenhar uma matéria pelo seu conteúdo poder ferir algumas cabecinhas (mesmo que sejam muitas)?
2. É legítimo pressionar um director ou um editor a não publicar uma matéria pelo seu cont….?
3. Se respondermos negativamente às anteriores questões, em coerência, nunca poderíamos concordar que um chefe de estado faça qualquer tipo de declaração que possa ajudar a pressionar qualquer profissional da comunicação social.
Não concordo com “se`s” neste tipo de matérias. O que certa europa e alguma américa exportam de pior sabemos nós de gingeira: guerra, fome, blá, blá, blá. O que de melhor se pode exportar, ainda que nunca através de violência ou qualquer outro tipo de opressão, é exactamente o que de pouco foi conseguido através da luta contra o obscurantismo. Sem dúvida que as liberdades de imprensa e de expressão (ainda que bastante diminuidas e afectadas) constam desse pequeno catálogo.

5 thoughts on “e se um dos cartoons fosse este…

  1. paradise, condenar mensagens de ódio e de intolerância religiosa não me parece que seja condicionar o jornalista. Passo a citar um já citado pelo abrupto, trecho:
    “Não há dúvida de que a democracia suporta a falta de sensibilidade e de bom senso e que a liberdade de expressão “é absoluta e não é negociável”, como disse o primeiro-ministro dinamarquês. Tal como devem ser absolutamente condenáveis as reacções violentas do mundo islâmico. Não podemos ainda ignorar que alguns imãs aproveitaram as caricaturas para internacionalizar o conflito e criar ambiente de resposta ao “ódio” ocidental. O Irão e a Síria agradecem o pretexto. Mas estas verdades exigem também que se tenha a lucidez de criticar com veemência todos e quaisquer actos humilhantes ou xenófobos. Não podem proibir-se para não nos igualarmos ao obscurantismo despótico, mas devem merecer crítica frontal. O combate da liberdade exige inteligência. A humilhação em nome da liberdade é uma caricatura trágica da nossa civilização.”
    António José Teixeira no Diário de Notícias:

  2. Não há dúvida que os extremistas/fundamentalistas religiosos têm mais força e mais adeptos, hoje em dia, na relegião muçulmana do que na cristã ou católica…
    Não estou a ver grandes manifestações de violência cá em Portugal por causa de uma caricatura dessas… Artigos incendiàrios nos jornais, conversas de café, mas não manifes, fogos postos, ameaças de bomba, etc.
    O meu profundo respeito pela causa Palestiniana, o meu reconhecimento de que os àrabes são hoje vitimas de uma intenssíssima campanha de propaganda racista e xenófoba nos países ditos “ocidentais”, não me impede de ter o mesmo desprezo pelos fanáticos fascistas dos padrecos islamitas, que manipulam através da relegião as pessoas (como fazem todos os padrecos fascistas), com fins poucos dignos.

  3. pois é, um dia ainda se vai descobrir q afinal tudo não passou de uma operação de propaganda de uns cavalgada por outros no interesse de uns quantos que falam por todos. E o pagode a assistir.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s