Crime sem vítima

Há uns anos, ía eu em trabalho a Elvas, e ao sair da auto-estrada, a GNR mandou-me parar. Tinha sido fotografado em excesso de velocidade “no fim desta última descida… A gente tem lá o radar escondido…”.
Parece que a GNR de Elvas manteve os seus métodos de combate ao crime e ao banditismo e à saída do Freedom Festival, lá estava ela a passar a pente fino os carros que saíam.
Os meus parabéns. Levem lá a bicicleta…

21 thoughts on “Crime sem vítima

  1. Bem… se te vais pôr a controlar a velocidade no fim de uma descida, com um radar escondido, é natural que apanhes condutores a mais de 120 km/h… é uma prática que é muito comum em marrocos, mas já não é no resto da união europeia.
    Eu não acho mal que controlem quem anda na auto-estrada a acelerar e a pôr emm risco a vida dos outros, mas eu fui multado a 140, no fim de uma descida.
    Eu também não me daria ao trabalho de escrever um post se os geninhos tivessem ali à procura de grandes dealers cheios de droga no porta-pagagens, mas das 174 detenções que eles se orgulham de ter feito, há com certeza muitas que foram porque encontraram uma pastilha que não foi tomada na última noite ou uma semente de cânhamo (que “indicía prática de produção de estupfaccientes”)…
    Dou este ultimo exemplo até porque, quando foi a Marcha Global da Marijuana, houve para aqui muito boa gente a argumentar que a coisa já era como se fosse legal…

  2. Pelo que pude ver na televisão, não foi só uma pastilha casualmente esquecida ou uma semente de cânhamo perdida no fundo do bolso. Havia para ali droga que dava para me ganzar 24 horas por dia durante mais de um ano.
    Quanto à caça à multa, bem, …quem não procura a maneira mais fácil de trabalhar?

  3. 140?! estavas com pressa? meu caro sabouter, a mim parece-me que quem não quer ser lobo não lhe veste a pele

  4. Quando mete(o) drogas vejo sempre televisão. No que toca às descidas, a lei (e o código) também se deve(m) cumprir nas descidas, mesmo sob o efeito de drogas.

  5. Pois, quanto a mim a lei não é um fim em si mesmo e nem sempre é para cumprir… e, para além disso, a bófia e os recursos do estado não deveriam servir para ver se apanham o pessoal em pequenas infracções, leva-los a tribunal em processos burocráticos e demorados, etc, etc.
    Então, quando se tratam de leis gritantemente hipócritas, como é o caso da do consumo de drogas, nem sequer compreendo os comentários que vão para aqui, nomeadamente o do meu amigo renegade.

  6. o comentário era acerca do excesso de velocidade, não estava a pensar em drogas. Se percebi bem ias a 140 e foste multado. Na minha maneira de ver as coisas não percebo por que é que te queixas. Ias em excesso de velocidade ou não ias?
    Agora já num comentário mais lateral porque não sei se é este o teu caso: as pessoas têm tendência a achar que os limites de velocidade têm geometria variável consoante quem vai ao volante (do tipo, “ah, e tal, eu tive aulas de condução com o Ayrton Senna”), a situação da estrada (” ia numa descida”, “o piso era bom” etc) e outros factores autojustificativos. Eu não consigo ver as coisas dessa forma. Quem vai em excesso de velocidade deve meter a mão na cabeça, pensar, e reduzir a velocidade.

  7. Há quantos anos é que o limite de velocidade é o mesmo?e desde então, quantas coisas se inventaram para evitar acidentes e feridos, desde o ABS até aos airbags?quantas centenas de merdas destas?os alemães serão mais burros quando abrem faixas de autoestrada sem limites?
    en.wikipedia.org/wiki/Autobahn#Germany_4
    por essa lógica, há tanta lei que te levava as mãos à cabeça…renegade, admite logo, tens uma granda sanha contra os carros!

  8. eu tinha ideia que as auto-estradas eram os locais mais seguros para a velocidade, e este artigo confirma isso.
    Mas o problema não está nas auto-estradas. Eu não ando a pé nas auto-estradas. Eu ando a pé e de bicicleta nas estradas urbanas e rurais. E aí a quebra de limites de velocidade e a condução perigosa é o pão nosso de cada dia e não devia ser.
    Chukie, eu acho que exceder limites de velocidade e colocar com isso as vidas dos outros em risco ainda não é um direito, nem deve ser. É um crime (ou contra-ordenação, vá lá). E não, a tecnologia ainda não descobriu maneira de um automóvel a 80 à hora não matar uma pessoa em caso de impacto, quanto mais a 140 (como o nosso amigo sabouter).

  9. dito isto, claro que sou anti sobre-exploração do automóvel. A minha vida perde demasiada qualidade por causa dos automóveis dos outros.

  10. eu nem carta de condução tenho mas ao ler o post do Saboteur dá-me a ideia que ele foi multado por ir a 140 num sítio onde se podia ir no máximo a 120, esses sítios são as auto-estradas, certo?
    “ao sair da auto-estrada, a GNR mandou-me parar”

  11. Vejam a 1ª página de hoje do Correio da Manhã… E talvez percebam melhor o que se passou!

  12. eu por acaso acho mal que quem vá em excesso de velocidade tire as mãos do volante para as meter na cabeça.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s