Não podem estar os dois correctos

É curioso que enquanto figuras do Socratismo – Vital Moreira, José Lello, Correia de Campos e agora José Vitorino – atacam Manuel Alegre, dizendo que ele está demasiado colado ao BE, alguma esquerda, acusa-o de estar demasiado colado a Sócrates e ao Governo, chegando mesmo os mais afoitos a dizer que a cara de um é o focinho do outro.
Parece-me que ou o Vitorino ou o Renato estão a analisar mal a situação política. Não podem estar os dois certos.

11 thoughts on “Não podem estar os dois correctos

  1. Petição – 2011 – Por um candidato anti-capitalista!
    Mais de um milhão de portugueses (18 %) votaram no passado mês de Setembro nos partidos de esquerda que se opuseram de forma clara às políticas liberais de José Sócrates.
    Em 2011 o povo de esquerda deve ter a oportunidade de votar num candidato que se afirme com um discurso anti-capitalista consequente, livre de oportunismos e tacticismos.
    Os signatários, cidadãos e cidadãs de esquerda, dirigem-se às direcções do Bloco de Esquerda e do Partido Comunista Português, como principais forças partidárias anti-capitalistas, no sentido de que dialoguem, com o objectivo expresso de apoiarem uma candidatura comum às eleições presidenciais do próximo ano, fora da área governamental e do PS.
    Esta petição não pretende promover os seus autores, pelo que será iniciada sem assinaturas dos promotores. É uma petição do povo de esquerda, que quer ter direito a votar orgulhosamente, e não por cálculo e aceitando males menores.
    Porque só o combate contra Sócrates e o capitalismo nos deixa alegres, não votaremos em quem o apoiou.

  2. Claro! Quem está certo és tu, oh grande sabotador da classe operária! O consolo que a gente tem é que, vendo-te de perfil, logo se percebe que já não tens escapatória possível

  3. o BE a apoiar o poeta burguês. outra coisa não era de esperar de quem se insurge contra os capitais privados mas gosta de lá ter umas acções; não vá o diabo tece-las.

  4. Os dois não podem estar certos. É lógico. Mas podem os dois estar errados. Aí não há contradição. Provavelmente é isso que acontece.
    Quanto à petição do José Silva, parece ser uma coisa que tem mais a ver com a vida interna do BE do que com as presidênciais.

  5. Quando ouço o Canas falar da “necessidade de um presidente que tenha uma visão mais moderna de estado e das reformas que é preciso fazer” esqueço-me de quase tudo o que abomino no Alegre…

  6. Alegre é Zé, Alegre é António, Alegre é gente!
    20 de Janeiro de 2010 por Renato Teixeira (no 5dias)
    O Saboteur, um dos postadores do Spectrum mais ligado à esquerda possível do que à esquerda necessária a que este blog nos tem habituado, escreveu este post a polemizar com o que tinha escrito sobre o Sócrates Alegre. Com convite tão descarado não podia deixar passar a oportunidade de fazer algumas considerações.
    Antes de mais é preciso dizer que o post do Saboteur faz um paralelo entre a minha posição e a do António Vitorino, o que como é óbvio só prestigia o segundo. Se o António descobre que o puseram em contraste comigo há-de colar o post na parede do quarto ao pé do poster dos Black Eyed Peas e telefonar a todos os amigos a dizer do quão orgulhoso se sente. Mas enfim… eu prestigiaria outras figuras na praça, mas o mau gosto fica com quem o pratica.
    Na substância, o Saboteur diz que eu e o António Vitorino não podemos estar os dois correctos. Uma evidência, uma vez que eu e ele dissemos coisas opostas. Ora, por exclusão de partes, ou um ou o outro tem razão ou, como um comentador disse no seu post, nenhum dos dois a tem. Brilhante, clarividente e oportuno. Diria mesmo perspicaz.
    Apesar disso o António Vitorino e eu temos algo em comum embora Saboteur não o perceba. Nenhum dos dois gosta de ver a esquerda, ainda que a possível, colada à esquerda que passou para a direita. Ambos desprezamos essa mútua contaminação. Já o Saboteur, nas entrelinhas, deixa perceber que é essa contaminação que o excita. O António desdenha Alegre embora deseje que Alegre dê a vitória a Sócrates e ao PS nas presidenciais. Eu desdenho Alegre embora deseje que ele consiga deixar claro o que move a esquerda parlamentar.
    Por fim, o inevitável agradecimento pelo adjectivo atribuído: afoito. Gosto. É que para além da cara do Alegre ser o focinho de Sócrates há ainda outras tantas trombas mais. Vejam em anexo. O leitor e o Saboteur poderão constatar das imagens o quão parecidos todos são. Por certo não encontrará a fotografia do Saboteur (que parece que só sabota jardins públicos), e terá seguramente melhores companhias que as visadas.
    Ainda assim um conselho: com tanta prosápia deveria ao menos ser capaz de nos deixar perceber a sua opinião. Não sobre mim e o António. Sobre o Alegre. Ficamos à espera.

  7. também não acho que Alegre seja assim tão simplesmente “a cara do sócrates” a ver vamos, se o PS não se irá demarcar pela direita.

  8. A questão agora é: Aceita Manuel Alegre, para ter o apoio de Sócrates, ser o “manto diáfano” das pornográficas políticas de direita do actual Governo?
    Se sim, se aceita, o que é que nos interessa a candidatura de Alegre?
    Se não, se não aceita, que hipóteses tem de ser realmente apoiado em 2011 pela mesma direcção do PS cujo candidato em 2006, não declarado mas real, foi Cavaco Silva?

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s