A vida de um Presidente da República deve ser um livro aberto


“Era bom que Cavaco Silva e José Sócrates fizessem um favor ao país. Propunha que fizessem um Governo de Salvação Nacional e escolhessem os amigos muito hábeis a ganhar dinheiro”, afirmou hoje o candidato.
O candidato presidencial José Manuel Coelho esteve hoje de manhã no Chiado, em Lisboa, a anunciar o elenco de um Governo de salvação nacional, que inclui nomes como Dias Loureiro e Oliveira e Costa e Alberto João Jardim.
“Para primeiro-ministro, [proponho] o doutor Alberto João Jardim, que é o exemplo de uma pessoa que está em condições para fazer uma boa gestão financeira dos recursos económicos do país. Para ministro da Indústria e das Reciclagens, o senhor Armando Vara; para ministro dos Negócios Estrangeiros, o doutor Cavaco devia colocar lá o seu amigo Deus Pinheiro. Já agora, o doutor Dias Loureiro para o Ministério dos Investimentos Ocultos. Depois, teríamos também o engenheiro Oliveira e Costa para ministro das Finanças e presidente do Banco de Portugal, não esquecendo ainda o doutor Paulo Portas, para ministro das Relações Internacionais Profundas. Também não esquecendo o senhor Isaltino Morais, de Oeiras, que devia ser escolhido para ministro da Justiça”, elencou. As propostas foram apresentadas junto à estátua de Fernando Pessoa, no café “A Brasileira”, depois de lembrar que o poeta foi um dos mais “inconformados” do seu tempo com a decadência do país.
“Era bom que Cavaco Silva e José Sócrates fizessem um favor ao país. Propunha que fizessem um Governo de Salvação Nacional e escolhessem os amigos muito hábeis a ganhar dinheiro e que enriqueceram de um momento para o outro. Para salvar o país do descalabro financeiro e da bancarrota”, ironizou o candidato apoiado pelo Partido Nova Democracia.
José Manuel Coelho exigiu ainda a Cavaco Silva, apoiado por PSD, CDS-PP e MEP, que explique como ganhou dinheiro no BPN e como comprou a casa de férias na aldeia da Coelha, defendendo que “a vida de um Presidente da República deve ser um livro aberto e não um enigma”.
Quanto aos seus bens pessoais, o candidato presidencial garantiu que os portugueses “estão à vontade” para os conhecer e afirmou que não tem nada a esconder: “Tenho lá na Madeira dois cães e duas aves, para as juízas do regime irem lá penhorar”. Confrontado com os dados da sondagem hoje publicada, José Manuel Coelho manifestou-se “contente” e considerou que “ainda há condições para passar à segunda volta”.

Coelho Presidente
http://www.rtp.pt/noticias/player.swf?image=http://img0.rtp.pt/icm/noticias/images/b0/b0037c7716dad4bffb7c91d94e7cd7a6_N.jpg&streamer=rtmp://video2.rtp.pt/flv/RTPFiles&file=/informacao/made_72521.flv

1 thought on “A vida de um Presidente da República deve ser um livro aberto

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s