Ao vivo do km zero

Sexta-feira passada às duas da manhã estavam cerca de 100 pessoas reunidas no Rossio reunidas em assembleia, ontem à meia-noite e meia estavam à volta de 250. Não me lembro de algo semelhante ocorrer assim nos últimos anos.
E no entanto todos os meios de comunicação que tiveram um orgasmo colectivo no dia 15 de Março preferiram hoje nas suas manchetes sublinhar que Cleo Pires (quem?) voltou a posar para a Playboy, uma qualquer declaração do bastonário dos psicólogos e que hoje vai ser preciso usar óculos escuros.
Resta considerar se ser jornalista não é por vezes um trabalho bastante mais indigno do que ser polícia.

A webcam live da praça do Rossio segundo o publico.pt

Anúncios

22 thoughts on “Ao vivo do km zero

  1. Hoje acabam as manifestações em Espanha, certo? Acabando em Espanha, acho que não se aguentam em Portugal

  2. Amanhã às 17h no Rossio Ocupado vai ser queimada uma efígie do Paulo. Tragam comes e bebes.

  3. MOVIMENTO DOS ‘INDIGNADOS’ FICA MAIS UMA SEMANA
    O movimento cívico dos ‘indignados’ decidiu permanecer na Puerta del Sol, em Madrid, “pelo menos mais uma semana”. A ideia será seguida noutras cidades, casos de Valência, Sevilha, Palma de Maiorca, Vitória e Bilbau. Esta decisão representa, ainda assim, um recuo em relação a uma proposta inicial, que previa permanência “por tempo indefinido”, até ver “cumpridos os objectivos” da plataforma ‘Democracia Real Já’. Apesar da determinação em prosseguir, é notório o desgaste de uma semana de luta e a incerteza quanto às alternativas a sugerir ao sistema político-partidário vigente. Mas uma coisa parece certa, como frisou a Comissão de Comunicação: “Somos um símbolo, por isso é preciso continuar.” O receio é de que o fim dos protestos anule tudo: “Se partirmos, não acontecerá nada, nada mudará.”
    ELEIÇÕES ESPANHOLAS
    A apenas nove meses das legislativas do próximo ano, o castigo aos socialistas é expressivo, cifrando-se, numa contagem geral, em cerca de 10 pontos percentuais: 37,34% para o PP e 27,84% para o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE).
    No PP, a euforia da vitória reforçou as vozes que pedem a demissão do governo e a antecipação das eleições que, a realizarem-se agora, transformariam o líder popular Mariano Rajoy no incontestado novo primeiro-ministro.
    Outro vencedor da noite foi a Esquerda Unida (IU), que obteve, num balanço geral, 6,30% dos votos, mais um por cento do que em 2007.
    No País Basco, que votou somente para as municipais, a formação nacionalista Bildu estreou-se com claro sucesso ao superar em número de votos o Partido Nacionalista Basco (PNV).
    O descalabro socialista, que reflecte o descontentamento com a gestão da crise e com o recorde de cinco milhões de desempregados, fez com que até Castela-La Mancha, que há mais de 32 anos era socialista, tenha adoptado o azul do PP. O mesmo cenário verificou-se na Extremadura, outro reduto socialista. Com 70% dos votos escrutinados, o PP superava em quatro pontos percentuais o PSOE.
    Na Câmara de Barcelona, socialista há também 32 anos, os nacionalistas da Convergência e União (CiU) triunfaram, obtendo 28%, contra 22% do PSOE e 17% do PP. A CiU ficou assim com o poder do governo regional e local.
    Refira-se que os ‘indignados’ não aumentaram a abstenção, que aumentou até 2% face a 2007 e cifrou-se em 65,85%.

  4. ó paulo… o grande resultado para o PP não foi uma consequência dos protestos nas praças.

  5. o indymedia pt acobertando fascistas e anti-semitas:
    pt. indymedia. org/conteudo/newswire/ 4575
    e como eles muitos esquerdolas toleram esse socialismo dos imbecis.

  6. O Grande Jogo da Guerra Civil
    Regra nº1
    Até nova ordem, todos os vossos direitos estão suspendidos.Naturalmente, é bom que mantenham ainda a ilusão que os têem. E para mais, nós só os violaremos um a um, e caso por caso.
    Regra nº2
    Sejam simpáticos: Não nos falem mais de leis, da Constituição, e de todos esses deslumbres doutra época. Desde há algum tempo, e talvez o tenham notado, nós fizémos passar leis que nos colocam acima das leis, como ao resto dessa dita Constituição.
    Regra nº3
    Vocês estão fracos, isolados, atordoados e abusados. Nós somos numerosos, organizados, fortes e esclarecidos. Alguns dizem que nós somos uma máfia. É falso, nós somos A máfia, aquela que venceu todas as outras. Apenas nós temos força para vos proteger do caos do mundo. E é por isso que nos dá tanto prazer de vos dar reenviar no vosso sentimento de fraqueza, de insegurança. Pois é assim que nós ganhamos.
    Regra nº4
    O jogo consiste para vocês em fugir, ou pelo menos em tentar fugir. E por fugir entende-se: ultrapassar o vosso estado de dependência. Neste momento, é bem verdade, vocês dependem de nós em todos os aspectos da vossa vida. Vocês comem aquilo que nós produzimos, vocês respiram aquilo que nós poluimos, vocês estão à nossa mercê à miníma cárie, e sobretudo vocês não podem fazer nada contra a soberania da nossa policia, a quem nós conferimos toda a latitude, tanto em acção como em apreciação.
    Regra nº5
    Vocês não serão capazes de escapar sozinhos. Vocês terão portanto de construir as solidariedades necessárias.
    Para apimentar o jogo tomámos a liberdade de eliminar todas as formas de sociabilidade autónomas. Deixámos apenas subsistir o trabalho; a sociabilidade controlada. E o objectivo é que vocês fujam dele, pelo roubo, amizade, sabotagem e auto-organização. Ah, uma precisão, todos os modos de escapar, transformámo-los em crime.
    Regra nº6
    Não nos esquecemos de o repetir: os criminosos são nossos inimigos. E por isto vocês devem entender o seguinte: que os nossos inimigos são criminosos. E como fugitivos potenciais, cada um de vós é um potencial criminoso. É por isso que é bom que nós tenhamos a lista dos números aos quais vocês ligam do vosso telefone, que os vossos telémoveis nos permitam de vos localizar a todo o momento, e que o vosso cartão de crédito nos permita conhecer os vossos hábitos.
    Regra nº7
    No nosso pequeno jogo, aqueles que saem do seu isolamento são portanto “criminosos”. Quanto àqueles que tenham o descaramento de contestar esse estatuto, apelidalos emos de “terroristas”. Estes últimos poderão ser abatidos em qualquer momento.
    Regra nº8
    Nós estamos bem conscientes que a vida dentro das fronteiras da nossa sociedade contém mais ou menos a mesma felicidade que uma viagem de metro; que o capitalismo, até aqui, em termos de riqueza, apenas tenha produzido uma universal desolação; que a nossa ordem em desuso não tem outros argumentos que as balas de borracha que a protegem. Mas o que querem vocês, é assim ! Nós desarmámo vos mentalmente, físicamente; e nós detemos o monopólio daquilo que vos proibímos; a violência, as cumplicidades e a existência. Francamente, se ´vocês estivessem no nosso lugar, fariam outra coisa ?
    Regra nº9
    Vocês conhecerão a prisão.
    Regra nº10
    Não há mais regras, todos os ataques são permitidos.
    O vosso Governo

  7. Ó Malvina, explica lá isso de se violarem direitos que não existem que eu não percebi bem! Malvina, olha bem para essa coisa onde tens os dedos – achas que é um produto do comunismo ter colocado uma máquina dessas em todo o mundo? Que lata…

  8. Puta que pariu o computador..
    Computador que pariu a puta..
    A puta que pariu o capitalismo..
    O capitalismo que pariu a puta..

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s