14 thoughts on “História de duas cidades

  1. Sem dúvida uma boa síntese embora reconhecerás que o olhar poderia ser mais atento. Aqui bem se aplica aquela velha máxima do reformismo: o caminho faz-se caminhando.
    Até amanhã.
    Renato T.

  2. é um problema que temos.
    poderia fazer um post semelhante para as cicloficinas :|

  3. Mas eu gosto de ambas as (duas) imagens. E da presença do “grupo da garrafinha de loios”, que já lá parava quando o “movimento praça do rossio” chegou e que provavelmente por lá continuará quando ele se tiver ido embora.
    E o caminho não se faz com um membro da mesa da assembleia a pegar no microfone para apontar o dedo a “pessoas que só cá vêm atraídas pela comida grátis e que passam o tempo a consumir alcool”. Também não sei como se faz, mas penso que não se faz desta forma.

  4. Espanha soube como fazer e acho que fez bem. Quem não está em condições de respeitar o trabalho de todos não está em condições de fazer coisas em conjunto.

  5. “Quem não está em condições de respeitar o trabalho de todos não está em condições de fazer coisas em conjunto.”
    Ó renato! respeitar o trabalho de todos? fodasse… O caneco anda em boa companhia tou a ver…

  6. Pois Renato. Mas olha que já há quem escreva a acusar-te e aos teus camaradas de precisamente “não estarem em condições de fazer coisas em conjunto”. Vê um post acima.
    Aliás, há sempre alguém disponível para chamar aos outros coisas lindas como “irresponsável”, “alcolizado”, “radical que ensaia discursos em frente ao espelho” (esta acho que o gajo ouviu da minha boca e aplicou-vos, embora eu estivesse a pensar noutras pessoas) e propor a sua exclusão.

  7. Pois eu acho que quem quer excluir pessoas o deve propor, mais do que fazer intrigas pífias. O mesmo para acrescentar pontos aos pontos. Acho piada o lamento de só se falar do FMI quando não se produz debates capazes de gerar novos consensos. Tenho trabalhado com muita gente esta semana e as críticas não se fizeram sentir. Porque será que só aparecem na calada da blogosfera?

  8. Seria talvez um princípio mais interessante que quem quer excluir pessoas voltasse ao seu jardim infantil, não?

  9. Talvez fosse mais interessante se tu fizesses alguma coisa construtiva para variar. Mas fazes o quê? Tiras fotos na surra com 3 bêbados e tentas colar o consumo de ganza ao acampamento? That’s it? Qual é a tua sócio? Entraste pra bófia?

  10. A foto já estava on-line. Não vejo qualquer problema com o consumo de ganza no acampamento. A ti talvez fizesse bem um charrinho ou outro, para te preocupares menos com as coisas construtivas que eu faço ou deixo de fazer.
    Ah, é verdade, bófia é o teu paizinho.

  11. Excluir quem rouba? Quem coloca em causa a segurança do acampamento? E esses não excluem quem tem putos ou quem tem que ir trabalhar de manhã?

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s