Venham buzinar mazé cá abaixo… (ao Terreiro do Paço)

A “Comissão de Utentes de Transportes da Margem Sul” marcou para segunda-feira um “buzinão” na ponte 25 de Abril, como protesto contra a reintrodução do pagamento de portagens na ponte em Agosto.

Eu, que hoje em dia atravesso o rio 6 dias por semana para ir trabalhar na outra margem, não dou uma grama de solidariedade para esta luta.
O preço do barco para o Barreiro aumentou cerca de 15%. Hoje em dia paga-se € 2,10 por viagem. € 4,20 para ir e voltar ao final do dia.
A portagem da ponte manteve-se em € 1,45 (só sul-norte. Ao contrário não se paga), e ainda há grandes descontos automáticos para quem usa via verde: 70% de desconto a partir da 13º passagem mensal, o que reduz a portagem para os 43,5 cêntimos (ida e volta). Quase 10 vezes menos do que o preço do transporte público!
Só existe uma luta verdadeiramente justa a fazer – ainda mais por uma “Comissão” chamada “Utentes de Transportes da Margem Sul” – é exigir a gratuitidade da travessia de barco e não a gratuitidade da travessia de carro.

Anúncios

14 thoughts on “Venham buzinar mazé cá abaixo… (ao Terreiro do Paço)

  1. Saboteur, pareces ser um gajo mesmo vidrado com guita… é raro o post teu que não venha com euros, milhares de euros, centimos.. gostas memso de dinheiro…

  2. Que puta de estupidez de post.
    o Saboteur acha que só existe uma luta justa, a dele. sintomático. é o verdadeiro moralista das lutas.

  3. “Moralista das lutas”? Por achar que determinada luta não é justa? E achar que seria muito mais justo tornar gratuita a travessia de barco, utilizado na sua esmagadora maioria pela classe trabalhadora, que é um transporte público colectivo, menos poluente, que implica menos investimento público e menos despesas de manutenção? Ainda para mais quando uma coisa é 10 vezes mais barata do que outra!!
    Parece-me que é só gosto de chamar estúpido por chamar estúpido (o que me parece um bocado parvo)… mas pronto.
    Talvez por não ser uma luta particularmente justa, o apelo deu no que deu. Tanta gente estúpida, Areia…
    Quase na mesma linha de ataque gratuito, o Jola, decide criticar-me por “gostar muito de dinheiro”… Caro Jola: O teu desprezo pelo dinheiro é enternecedor. Se me pudesses pagar o bilhete do barco, ficaria muito agradecido. Como fazemos? Envio-te o NIB para a transferência bancária?

  4. Não podia concordar mais com o Saboteur. Eu que também vivi na margem de lá e que pagava horrores para poder ir trabalhar ou estudar todos os dias de barco de carro ou seja lá como for, sempre fiquei incomodado com a gratuitidade em agosto e isto porque agosto é realmente o único mês do ano em que os betinhos de lisboa querem trocar de margem por causa da prainha e onde os margemsulenses(que pagam a ponte todo o ano) tão se cagando para lisboa porque estão de férias e lhes cheira a mar da varanda.

  5. Já faltava o tema das portagens da ponte converter-se em pretexto para localismos otários.
    A praia é de quem vive na margem sul, é isso ZXH80? Nesse caso supõe-se que os empregos na margem norte também pertencerão aos que lá vivem e assim sucessivamente, até não ser preciso pontes nem barcos.
    Se bem me lembro, uma das razões para não haver portagens em Agosto é logística: são tantos carros a ir para Sul (mas não necessariamente para a margem sul…) que as filas chegariam até à A1. Quanto ao preço do barco, tal como o preço dos comboios, do metro e do autocarro, só há uma palavra: organizemo-nos.

  6. Efectivamente a praia não é de quem vive na margem sul assim como os empregos não são para quem vive na margem norte. Diz-me lá então porque razão a praia tem se ser de graça para os da margem norte e os empregos a pagar para os da margem sul?
    Quanto ás razões que tu dizes que te lembras não correspondem obviamente à verdade.
    Abraço amigo ricky, tou a precisar de uma abertura excepcional da RDA para entregar o que levei de vcs e me foi amavelmente cedido.

  7. as portagens são sul norte, para as filas chegarem à A1 tinha de haver muitos maluquinhos a dar voltas circulares, talvez sair em vila franca, ir comer uma bifana a montemor umas ameijoas nipónicas ao seixal e entrar em lisboa pela 25 de abril… infelizmente não há situacionistas suficientes em portugal :\

  8. post ao lado e alguns comentários…
    A questão é que o fim da inseção do pagamento de portagem na ponte 25 de Abril se insere num conjunto de medidas, mais amplas e vastas – que o aumento generalizado dos transportes é exemplo, de ir ao bolso da generalidade da popualção.
    a acção da comissão de utentes da margem sul é justa, como justa é a luta contra o aumento das traifas de transporte público (que o autor do blog, pelos vistos, desconhece…)
    uma acção, muito longe de anular a outra, dá força a esta LUTA contra o roubo e saque que nos estão a fazer…
    desta forma o autor do post, eu, e certamente quem lê isto, vai falar do milhões de meia dúzia e dos tostões (cêntimos) que têm de esticar até ao fim do mês!

  9. post ao lado e alguns comentários…
    A questão é que o fim da inseção do pagamento de portagem na ponte 25 de Abril se insere num conjunto de medidas, mais amplas e vastas – que o aumento generalizado dos transportes é exemplo, de ir ao bolso da generalidade da popualção.
    a acção da comissão de utentes da margem sul é justa, como justa é a luta contra o aumento das traifas de transporte público (que o autor do blog, pelos vistos, desconhece…)
    uma acção, muito longe de anular a outra, dá força a esta LUTA contra o roubo e saque que nos estão a fazer…
    desta forma o autor do post, eu, e certamente quem lê isto, vai falar do milhões de meia dúzia e dos tostões (cêntimos) que têm de esticar até ao fim do mês!

  10. Não tó, o facto de os utilizadores da ponte pagarem mais e serem sobretudo trabalhadores não torna “justa” a luta pela gratuitidade.
    a utilização do transporte privado deve ser desincentivada, na mesma medida que a utilização do transporte público deve ser incentivada.
    A questão também é que o contrato com a lusoponte prevê uma renda que é afectada pela gratuitidade em Agosto. Essa renda tem de ser coberta pelo orçamento do estado, pondo todos os contribuintes a pagar pelas férias de praia de meia dúzia. Por esta razão, esta situação iníqua tem de ser corrigida.
    E sobretudo em casos destes, em que até há transporte público com qualidade suficiente.
    É preciso tirar esta renda à Lusoponte? Admito que sim. Mas no presente estado da arte, esta luta da comissão de utentes é errada, por todas as razões.

  11. O buzinão tinha como motivo não só o facto de se ir cobrar portagens em agosto, como também todo o aumento do preço dos transportes. Querer ver só parte do assunto não é lá muito justo.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s