As provas acumulam-se. Quem nos proteje da Polícia?

Anúncios

12 thoughts on “As provas acumulam-se. Quem nos proteje da Polícia?

  1. São todos os santinhos
    No minuto 0:27, o famoso santinho que aparece com umas pingas de sangue, vê-se que ele não atirou contra a Policia (uma garrafa?). Um santinho [como todos os outros].
    E no famoso “caso” dos “foto-jornalistas” digam-me qual a diferença desses com os restantes? Todos têm câmaras na mão e todos têm mochilas.

  2. são papeis. rasgados. e ele já tem a cabeça aberta.
    aqui não vi santinhos nem diabos, vi Pessoas e vi cobardes.

  3. Não há diferença, nem tem de haver, entre um fotojornalista e um manifestante. há sim entre pessoas caídas e macacos de bastão. Até em velhas bateram, agora vêm praqui armar-se em espertinhos.

  4. ‘o que se passa’ com o ‘caso’ dos ‘fotojornalistas’ é que fica dificil defender que um fotografo ao serviço da agencia lusa é um perigoso terrorista. já um manifestante, mesmo de cabeça aberta e a jorrar sangue, parece ser uma terrível ameaça.
    vai lá masturbar-te com o bastão, palhaço.

  5. Boa tarde.
    Concordo que efectivamente existiram excessos por parte da Policia de Segurança Pública. No entanto não posso deixar de concordar que a bastonada que a foto-jornalista sofreu, foi em parte merecida (exceptuando a localização da bastonada). No vídeo, vê-se claramente uma atitude provocatória desta, em relação ás forças de segurança. Ser foto-jornalista não lhe dá confere qualquer tipo de imunidade (apesar de na actualidade estes pensarem que sim), tão menos se fizer parte activa da mesma, como tal se verificou.

  6. Eu também vi alguém a atirar uma garrafa de plástico. Face a isso é absolutamente normal que a polícia comece a abrir as cabeças à bastonada. Nem sei onde está a dúvida.
    Por outro lado, já vi, noutra ocasião que nada tinha a ver com greves ou manifestações, a polícia a fugir quando uns gajos começaram a apedrejar-lhes o carro.
    Moral da história: É necessário passar a atirar pedras para a polícia deixar a população indignar-se à vontade com as políticas do Governo. Enquanto forem só ovos atirados às instituições bancárias, assobios e chamar “fascistas”, eles ficam irritadiços e desatam a rachar crânios a ver se metem alguém numa cadeira de rodas

  7. Um cocktailzito naquela esquina não ficava nada mal… havia distância suficiente para não machucar ninguém além dos cowboys merdolas… carga por carga

  8. Se ao atirar um cocktail contra as forças de segurança fosse abatido a tiro pela policia, não despertaria em mim qualquer tipo de compaixão.

  9. Se ao atirar um cocktail contra as forças de segurança fosse abatido a tiro pela policia, não despertaria em mim qualquer tipo de compaixão.

  10. Talvez o cidadão se comova com coisas que a nós nos dão náuseas. enquanto a merda a que sabe o pão não lhe chegar à boca e só se comover com a fome dos outros é natural que ache bem que a violência seja monopólio do Estado.

  11. “abatido a tiro”

    acho que nem o fragor de um trovão em cima da sua cabeça o despertaria. resta-me desejar-lhe as melhoras, que isso não deve ser coisa fácil com que lidar e ainda pior de curar.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s