Ganhar forças para consolidar

palco-be0c

Se alguém ainda não tinha percebido o que aconteceu a 2 de Março, Francisco Louçã veio agora explicar no Facebook. Manifestámos-nos para que a esquerda nos possa representar. O último a sair que apague a luz.

[Vasco Pulido Valente] pensa que, se invectivar os seus inimigos de estimação, a realidade colapsa perante ele. Não percebeu nada. Não percebeu que o 2 de Março exige uma representação da recusa da troika e da dívida. Não percebeu que a esquerda não desistiu para o centro. Não percebeu que as vítimas da austeridade são os que querem ser o Rio Grândola.

6 thoughts on “Ganhar forças para consolidar

  1. deleuze:nietzsche e a filosofia, edição rés. está lá a perspectiva do filósofo nuno nabais, mas pensada e sitematizada, e SEM dialéctica para nos foder a cabeça. JOGAM FAZEM GAME OVER ?

  2. Pois é. Precisamos de um papá muito sábio e forte, economista de preferência, para nos defender do grande demo que é a troika. Imploro a Louçã e a todos os grandes chorosos, de esquerda (claro!), da ilustre pátria soberana que nos encaminhem por esse rio Grândola e que nos ponham a marchar contra os porcos alemães e todos os loiros capitalistas. Sobretudo, negoceiem-me todo – o pai, a avó, a casa, a mãe, as irmãs, o sexo, a playstation 2, mas, por favor, cheguem-se à frente com esse ar blasé, encham as cidades de mupis com desenhos (horrorosos), falem-me sobretudo da Aliança de Esquerda e de como o partido virá consubstanciar a esperança deste povo português.
    2)Como se a fome e a miséria nas margens do braço de prata não fosse pagar dívidas com o corpo. Muita merdinha debitam estes “filósofos” da faculdade de letras de lisboa.
    Inacreditável como Nabais jamais problematiza o não pagamento da dívida. Jamais questiona isso. Assume-o como destino trágico do herói grego. Que a democracia morra na Grécia e que o teatro volte a ganhar vida para lá destes vampiros.

    «Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como pode este dar-nos a comer a sua própria carne? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos» (João 6:51-71)
    A esquerda ou a vida.

    Também aqui, numa versão mais contemporânea (“só falta a esperança”):
    http://www.ladroesdebicicletas.blogspot.com/2013/03/so-falta-esperanca.html

  3. deleuze:nietzsche e a filosofia, edição rés. está lá a perspectiva do filósofo nuno nabais, mas pensada e sitematizada, e SEM dialéctica para nos foder a cabeça. JOGAM ou FAZEM GAME OVER ?

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s